18 de January de 2018 8:03:47

Time irregular e desorganização rebaixam o Coritiba

O ano de 2017 foi marcado pela pior campanha do Coritiba nos últimos anos no Campeonato Brasileiro. Após 38 rodadas, o time foi rebaixado para a Série B mais uma vez. O Coritiba estava na elite desde 2010.

Pachequinho foi efetivado como técnico para o Brasileirão. Foto: Coritiba Oficial.

No mês de fevereiro, após eliminação para o ASA-AL na Copa do Brasil, o então treinador Carpegiani foi demitido, dando lugar ao interino Pachequinho. O Coritiba foi campeão paranaense, após o título e muitos pedidos de torcedores a diretoria efetivou Pachequinho como treinador para a disputa do Campeonato Brasileiro. No começo funcionou, o time estreou com goleada em casa 4 a 1 sobre o Atlético-GO, depois disso, foi até Santos e fez uma grande partida onde jogou melhor que a equipe paulista, mas acabou sendo derrotado por 1 a 0. Vale lembrar que o estreante Alecsandro, sofreu e perdeu uma penalidade defendida por Vanderlei nos instantes finais da partida.

Depois da derrota em Santos, o Coxa engatou uma sequencia de seis jogos sem derrotas, venceu três jogos em sequência contra Vitória fora de casa, o clássico Atletiba e o badalado Palmeiras, ambos em casa e empatou os outros três contra Botafogo fora, Bahia e Corinthians dentro de casa. Nessas seis rodadas o time teve seu melhor momento no campeonato figurando entre os primeiros colocados, chegou até ser vice-líder da competição, mas no final desta sequencia o desempenho já havia caído e o time começa a apresentar problemas.

Suspensão de Kleber

Um ponto crucial na campanha do Coritiba foi a suspensão do atacante Kleber. Capitão e referencia em campo, o atacante se envolveu em confusão com o volante Edson do Bahia na 7ª rodada do campeonato, os dois trocaram provocações,  cusparadas e agressões o que culminou em suas expulsões. Kleber ficou de fora  até a 10ª rodada, quando o clube conseguiu um efeito suspensivo que permitiu que o atacante atuasse em mais 3 partidas contra Vasco, Sport e Avaí. Depois do jogo contra os catarinenses, o atacante precisaria cumprir mais 15 jogos de suspensão, mas posteriormente conseguiu converter a pena para 11 jogos. O atleta só voltou a atuar na 23ª rodada no clássico contra o Atlético Paranaense que terminou empatado por 1 a 1.

Troca do comando técnico

Após o bom inicio o Coritiba decaiu e entre a 6ª e a 15ª rodada o time perdeu cinco jogos, empatou quatro e venceu apenas um. A sequência culminou na demissão técnico Pachequinho na 15ª rodada após goleada sofrida pela Ponte Preta, 4 a 0 em Campinas. Neste jogo o treinador tentou opções que não deram certo, como a escalação de dois laterais esquerdos e do contestado Edinho, não deu certo e o treinador acabou demitido, deixando o time na 13ª posição.

Marcelo Oliveira assumiu o Coxa na 17ª rodada. Foto: Coritiba Oficial

O treinador Marcelo Oliveira foi contratado logo em seguida e assistiu o Coritiba perder para o Flamengo no Rio de Janeiro sob o comando do preparador físico e treinador interino, Robson Gomes. Marcelo Oliveira estreou com derrota para o Atlético-MG em casa por 2 a 0 na 17ª rodada. Depois da estreia o treinador conquistou duas vitórias a primeira contra o São Paulo fora de casa, diante de 53 mil pessoas no Morumbi e depois outro triunfo sobre a Chapecoense em casa fechando primeiro turno.

Segundo turno complicado

A partir da primeira partida do segundo turno o Coritiba teve muitos problemas. O time ficou sem vencer por nove rodadas no segundo turno. Foram seis derrotas e três empates e mais de dois meses sem vitória. Neste momento o clube já estava na zona da degola.

O time ainda conseguiu engatar mais uma boa sequência no campeonato ficando oito jogos sem derrota, vencendo Cruzeiro, Sport, Avaí e Flamengo e empatando com Vasco, Fluminense e Ponte Preta. Com esta sequência o time passou a depender apenas de si para escapar do rebaixamento.

Reta final e rebaixamento cruel

O time entrou nas três rodadas finais dependendo apenas de si para permanecer na elite do futebol brasileiro. Dos últimos nove pontos precisaria de apenas três para se salvar, este era o pensamento. O Coxa foi visitar o Atlético Mineiro na 36ª rodada e com péssima atuação sofreu 3 a 0 em 15 minutos e assim terminou.

Na 37ª rodada a maior esperança alviverde, enfrentaria o São Paulo que já não aspirava mais nada no campeonato. Jogo em um domingo ensolarado, dentro de casa, com mais de 38 mil pessoas, uma vitória salvaria o Coritiba. No jogo o Coritiba teve as mesmas dificuldades que apresentou durante todo o campeonato, ainda assim o time chegou ao gol em pênalti absurdo marcado pela arbitragem. No segundo tempo o São Paulo empatou em um escanteio, e em uma falta no meio de campo, a bola foi erguida na área alviverde e Matheus Galdezani, jogador que começou muito bem e que teve grande queda de rendimento no campeonato, fez o gol contra que dava a vitória ao São Paulo.

Na rodada derradeira do Campeonato Brasileiro, o time foi até a cidade de Chapecó (SC) para enfrentar a Chapecoense que buscava uma vaga para a Libertadores, um ano após a tragédia área do clube. O Coritiba entrou em campo dependendo apenas de suas forças para se manter na primeira divisão, vencendo garantia a permanência, em caso de derrota, Avaí e Sport não poderiam vencer seus jogos, com um empate precisaria de uma derrota do Vitória e ou Avaí ou Sport não poderiam vencer seus jogos.

O time conseguiu abrir 1 a 0 com Kleber fazendo belo gol. Ainda na primeira etapa a Chapecoense empatou com Elicarlos em uma tentativa de cruzamento. No segundo tempo os dois times se soltaram para o ataque, já que os dois necessitavam da vitória, o meio de campo praticamente não existia. O Sport vencia o Corinthians por 1 a 0, o Vitória vencia o Flamengo pelo mesmo placar e o Avaí empatava com o Santos. Os resultados rebaixavam o Coritiba. Mas o destino foi cruel com o Coritiba, o Flamengo havia empatado o jogo contra o Vitória e aos 50 minutos teve um pênalti a seu favor para virar o jogo, a vitória do Flamengo e o empate em Chapecó salvariam o Coritiba, mas quase que simultaneamente o Coritiba sofreu a virada da Chapecoense, e em Salvador, Diego convertia a penalidade e ajudava ao Coritiba, que pecou e teve o rebaixamento sacramentado nos últimos segundos do Campeonato Brasileiro de 2017.

O Coritiba teve um 2017 desorganizado, com três treinadores diferentes, jogadores chegando até a metade de agosto com contrato até dezembro, um time que pecou em momentos cruciais da competição e que deixou escapar muitos pontos importantes, acabou rebaixado por uma diferença de apenas um gol.

 

Estatísticas

Vitórias: 11

Empates: 10

Derrotas: 17

Gols marcados: 42

Gols sofridos: 51

Saldo de gols: – 9

Aproveitamento: 37,7%

 

Artilheiro: Henrique Almeida – 7 gols

Jogador com mais jogos: Wilson – 38 jogos (Goleiro participou de todos os jogos na temporada)

Foto: Coritiba oficial.

Siga em:
PSTC e Portuguesa Lo
Maringá FC apresent

<p>Estudante de Jornalismo. Amante do esporte, principalmente do futebol, nacional e internacional. Torcedor do Barcelona, Borussia Dortmund, Chelsea e Milan. Futebol é mais do que apenas um esporte!</p>

Classifique este artigo