24 de February de 2018 1:48:29

Tecnologia auxilia comissão técnica do Londrina a prevenir lesões

Todos sabem que a cada ano que passa, a tecnologia se encorpora ao futebol em vários aspectos, principalmente na prevenção e tratamento de lesões, algo que há alguns anos atrás, não se tinha. O Londrina com a chegada da comissão técnica do treinador Ricardinho, está utilizando materiais de ponta, para mapear cada atleta, suas características durante o jogo e sua recuperação, através do fisiologista, Belmar Ramos Júnior e do preparador físico, George Castilhos.

Desde o primeiro dia de trabalho em 2018, Belmar e George estão utilizando o sistema de GPS para monitorar todas as ações de cada atleta do Londrina dentro e fora de campo, principalmente no objetivo de prevenir lesões que possam atrapalhar o rendimento do jogador e assim, prejudicar a equipe.

“Nós temos cada jogador treinando com uma cinta, nós temos uma antena que capta até 200 metros de raio e suporta 100 atletas ao mesmo tempo, antes do treino, eles ficam deitados aqui na nossa academia e depois vão para o campo, ou seja, todo treinamento existe um monitoramento em tempo real. Sempre estamos em comunicação com o George [preparador físico] e com o Ricardinho, para saber se tem algum jogador treinando mais do que se recomenda, temos a possibilidade de intervir, mas a decisão é sempre do técnico, nós apenas informamos”, comentou Belmar Ramos Júnior, fisiologista do Alviceleste, sobre o acompanhamento dos atletas pela tecnologia.

Cada jogador usa um cinto e GPS para o monitoramento dentro de campo e durante os treinamentos. Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Durante os cinco jogos até agora na temporada 2018, os jogadores foram analisados e até alguns, como Germano, Luizão e Carlos Henrique, foram poupados em alguma partida. “Em todos esses jogos foram feitos, com duas possibilidades que a gente sempre foca, tirar o máximo de cada jogador no jogo e ao mesmo tempo, minimizar o risco de lesão, a gente nunca vai ter certeza que não haverá lesão, mas como temos dados junto com a percepção subjetiva dele [atleta], fica mais fácil tomar uma decisão”, afirmou Belmar.

Segundo dados do GPS, os atletas que atuam no meio-campo, são os que percorreram as maiores distâncias nesses primeiros jogos, sendo o volante Rômulo, o atleta que mais correu, algo próximo de 12 km por partida. “Nós tivemos um atleta que percorreu 12 km, o Rômulo é muito intenso nesta perspectiva e é o que jogou as cinco partidas”, Belmar ainda acrescentou. “12 km em uma partida, mas nos outros jogos ele ficou perto de 11,5 km à 11,7 km, ele tem uma média boa. O Moisés quando jogou teve uma boa intensidade, o Germano também é muito intenso, ele percorre uma distância menor, mas em uma intensidade que chamamos de ‘Autos Esforços’ em três ou quatro segundos”, finalizou o fisiologista do Londrina.

Atleta que mais percorreu uma distância por jogo pelo Londrina, o volante Rômulo coloca o cinto que ajuda na captura de dados dos atletas. Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Com a Copa do Mundo em 2018, todo o calendário da temporada foi modificado, atrapalhando a pré-temporada, principalmente dos 60 clubes das três principais divisões nacionais. Um exemplo é que nas temporadas de 2016 e 2017, o Londrina teve algo próximo de 30 dias de pré-temporada, em 2018, este número caiu para algo perto dos 15 dias.

O preparador físico George Castilhos, avaliou este curta pré-temporada. “As duas últimas temporadas foram muito boas, foi dado 30 dias de pré-temporada, em alguns estados a competição começou final de janeiro ou início de fevereiro, isso ajuda muito, pois o atleta pegava 30 dias de folga em dezembro, que ele precisa, pela maratona que ele tem e depois você pegava 30 dias para ele treinar, o atleta entrava em outras condições. Esse ano voltou tudo, ter 18 dias de treinamento, alguns tiveram 15 dias e com certeza isso atrapalha muito, isso faz com que você pular etapas ou pagar o preço sem pular etapa, que é enfrentar clubes com calendário menor que se preparam a pelo menos dois meses”, enfatizou o preparador físico do Tubarão.

O zagueiro Dirceu, também falou sobre está tecnologia implementada no futebol e diz que seu primeiro contato com ela foi em Portugal, quando atuou pelo Marítimo. “Sem dúvida alguma, isso aí [GPS] faz a diferença, me deparei pela primeira vez com isso em Portugal, lá nós tínhamos ele monitoramento diário, é fundamental para o auto conhecimento, o jogador passa a se conhecer mais, a ter um embasamento maior, temos números que dizem o porque estarmos sentindo um desgaste aqui, o porque de estar se sentindo bem ou não, é todo um feedback que vem desses rapazes que falaram muito bem, que isso nos dá um auto conhecimento muito grande”, afirmou Dirceu.

Próximo duelo

Com a tecnologia e uma semana livre para treinos, o Londrina espera estar melhor preparado para o jogo deste sábado (10), às 16h30, no Estádio do Café, contra o Coritiba, pela 5ª rodada da Taça Dionísio Filho do Campeonato Paranaense.

Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Siga em:
Paranavaí e prefeit
Após empate, Maring

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo