Para Vital, PSTC estreou bem no empate diante da Portuguesa pela Segundona

No jogo de estreia no Campeonato Paranaense da Segunda Divisão, o PSTC empatou com a Portuguesa Londrinense no placar de 1 a 1, no Estádio Willie Davids no último domingo em Maringá. Os gols foram marcados logo no início da partida por Mateus para o time mandante e Anderson Alves deixou tudo igual para a Lusinha.

Com o resultado, o Leão do Norte começou a temporada na sétima posição com um ponto. Na próxima quarta-feira (14), pega o Operário de Ponta Grossa no Estádio Ubirajara Medeiros, às 20h30. Já a Portuguesa, ficou na sexta posição também com um ponto. No mesmo dia, às 16h30 enfrenta o Cascavel no Estádio Olímpio Barreto.

Mesmo com o empate, o professor aprovou a equipe dentro de campo

O técnico Reginaldo Vital, do PSTC, avaliou o primeiro teste oficial em 2018. “Foi um jogo que a comissão técnica toda gostou. Tivemos um adversário que ficou noventa e cinco minutos na defesa, totalmente na retranca e teve a felicidade de fazer o gol logo nos primeiros cinco minutos que dificultou muito. Mas, a equipe criou muitas chances e tivemos posses de bola muito maior que a Portuguesa. Então, foi um jogo onde o goleiro deles foi o melhor jogador em campo, com defesas muito difíceis. Conseguimos criar mesmo com uma equipe ofensiva que tivemos, de nove a dez oportunidades de gol e infelizmente não era o dia. Mas, agradável ao primeiro jogo, foi dentro do esperado, a gente queríamos muito a vitória, mas não venho. Agora é trabalhar para enfrentar o Operário”.

Muitas oportunidades, mas um pouco de ansiedade atrapalhou

Depois que a Portuguesa conseguiu o empate, se retrancou o que não deixou o adversário reverter o placar. Mas, as oportunidades continuaram a pontaria e a ansiedade foram fatores cruciais para não terem o gol feito. “Tivemos algumas dificuldades principalmente no setor do meio-campo. A equipe suportou bem o jogo, a estreia teve um pouco de ansiedade que atrapalhou. A gente poderia ter saído com um placar bem elástico da partida, os atacantes tiveram muitas chances. Agora melhorar para a próxima partida para que a gente volte a fazer um bom jogo. Mesmo com o empate, gostei muito do confronto dentro de campo, aquilo que nós fizemos nos treinos colocamos em prática”, contou o treinador.

Dentro de campo somos todos de níveis iguais

O próximo adversário cresceu em sua história nos últimos anos. Mas, o PSTC entrará em campo de igual para igual e não faltará motivos para vencer, com o apoio da torcida tudo pode acontecer. “Sabemos da força do Operário. Então, esperamos um jogo muito difícil, um time que jogue para cima com abertura de espaços, pois a Portuguesa foi um time que ficou bem atrás. Mas, o adversário tem uma grande equipe, um grande treinador, venho acompanhando o seu retrospecto. Fizemos dois amistosos, a maioria dos jogadores eu conheço e nós vamos fazer valer o mando de campo, já que no primeiro jogo estivemos em um campo neutro, o que dificultou. Na quarta-feira espero que o torcedor nos ajude, pois é um jogo muito difícil, vamos jogar bonito e buscar os três pontos”, finalizou o treinador.

Foto: Ademir Alves.

Siga em:
CE União em alerta
"Foi o pior jogo nos

O garoto que narrava os jogos de vídeo game está prestes a se tornar jornalista. Brincalhão, quer fazer do esporte sua profissão.

Classifique este artigo