18 de October de 2017 3:05:36

Perto da classificação, Operário recebe o Rio Branco pela Taça FPF

A conquista do título da Série D do Campeonato Brasileiro ainda repercute nas redondezas de Vila Oficinas. A torcida do Operário Ferroviário não deve esquecer tão cedo o grande feito conquistado na última semana. Contudo, alguns jogadores estão com outro pensamento. Após um início irregular na Taça FPF, o Alvinegro precisa de um empate para garantir a classificação para a segunda fase do torneio. A equipe tem dois jogos para assegurar mais um ponto. A primeira oportunidade é na noite desta quarta-feira (20), quando o Fantasma recebe o Rio Branco no Estádio Germano Krüger.

Mas a situação não é tão simples quanto parece. A preocupação da comissão técnica é com a série de desfalques que o time precisa superar. Na última partida, diante do Iraty, o meia Fred Saraiva foi expulso de campo. O atacante Diego Carioca está fora por lesão. Além disso, o Operário também não pode contar com Paulo Henrique, o único lateral-direito do elenco. O atleta se lesionou há algumas rodadas e não deve mais vestir a camisa da equipe pelo restante da competição. Por conta disso, o volante Thales tem sido improvisado na lateral da equipe.

O atual objetivo do Alvinegro da Taça FPF é “revelar” jogadores para a equipe principal. Vários atletas já integraram o elenco profissional do clube e estão tendo a oportunidade de provar o gosto de uma sequência na titularidade. É  o caso dos goleiros Matheus e Ravel, dos volantes Thales e Alexandre, do meia Murilo e dos atacantes Vandinho e Cristian. Isso garante à equipe uma boa qualidade técnica. Em campo, porém, o Alvinegro ainda tem sentido os sintomas da constante necessidade de mudanças.

Para a comissão técnica, a classificação do Fantasma deve dar tranquilidade aos jogadores. Com isso, as coisas podem começar a se encaixar para o mata-mata. “Acho que temos uma equipe qualificada, uma equipe boa. Apesar de termos que improvisar jogadores numa função que não é de ofício, os jogadores improvisados estão indo razoavelmente bem. Vamos fazendo o máximo. Temos que conversar, trabalhar bastante com o lado psicológico, para ninguém se abalar. Com mais um ponto conquistamos a classificação.  O mais importante é nos classificarmos. O mata-mata é outra história, outro campeonato. Tudo pode acontecer”, ressaltou o técnico Joel Preisner.

Foto: Bianca Machado/Operário Ferroviário Oficial

Siga em:
Coritiba recebe Bota
STJD julga dupla Atl

Estudante de Engenharia, fanático por futebol. Encontro nos textos uma forma de desenvolver novas aptidões e acompanhar de perto os bastidores do futebol.

Classifique este artigo