18 de November de 2017 2:51:57

Operário domina partida, vence Atlético-AC e está na decisão da Série D do Campeonato Brasileiro

A caminhada heroica do Operário Ferroviário na Série D do Campeonato Brasileiro terá seu capítulo final nas duas próximas semanas. Nesta segunda-feira (28), o Fantasma assombrou o Atlético-AC no Estádio Germano Krüger e alcançou a final do torneio nacional.

A vitória por 2 a 0 foi de grande mérito do técnico Gerson Gusmão, que realizou mudanças na equipe e surpreendeu o adversário. No fim, os dois gols foram marcados por atletas que não vinham atuando. O meia Robinho abriu o placar no início, e o atacante Schumacher deu números finais ao placar ainda na primeira etapa.

Com o resultado, o Operário decide a Série D em casa daqui a duas semanas. O Fantasma ganhou o privilégio por ter um ponto a mais na classificação geral em relação aos seu derradeiro adversário, o Globo-RN.

Fantasma tem início avassalador e constrói boa vantagem

O Operário iniciou a partida com mais mudanças em relação ao esperado. Além das entradas de Tiago Alencar e Schumacher, que substituíram os suspensos Alisson e Lucas Batatinha, o técnico Gerson Gusmão também promoveu as entradas de Robinho e Jean Carlo nos lugares de Athos e Washington.

O Fantasma começou bem a partida. Empurrado pela torcida, o time pressionou o Atlético–AC desde o início. Logo aos 6 minutos, Robinho cruzou falta na cabeça de Quirino, mas o atacante do Alvinegro mandou para fora. Dois minutos depois, veio o que a torcida queria. Quirino cruzou na área, Schumacher completou de cabeça, a bola bateu nas duas traves antes de sobrar para Robinho empurrar para as redes.

O gol não diminuiu a empolgação do Operário. Muito pelo contrário. Aos 12 minutos, Schumacher serviu Jean Carlo na entrada da área. O meia-atacante do Alvinegro bateu forte, mas Miller fez boa defesa e salvou o Atlético-AC. Aos 15 minutos, o Fantasma alcançou a tranquilidade que tanto buscava. Após lançamento da defesa, Schumacher ganhou corrida contra a zaga do Galo Carijó e bateu na saída de Miller para ampliar.

O Operário seguia no comando da partida. Aos 28, Quirino passou fácil pela defesa adversária e chutou, mas Miller fez a defesa com segurança. Um minuto depois, quase a resposta do Galo. Jeferson puxou contra-ataque pela esquerda e cruzou rasteiro na pequena área, mas a bola parou nas mãos do goleiro Simão.

Com 35 minutos, o Operário balançou as redes com Tiago Alencar, mas o zagueiro do Fantasma estava impedido e o gol foi invalidado. No final da primeira etapa, o Alvinegro manteve a boa postura defensiva e apenas administrou o resultado até o intervalo.

Operário controla ações, cria oportunidades mas não consegue ampliar

Mesmo com um bom resultado, o Operário não recuou e começou o segundo tempo buscando ampliar o placar. Em boas tramas ofensivas, o Alvinegro levou bastante perigo, mas tinha dificuldades em encaixar o último passe. Aos 19 minutos, numa boa  chance, Jean Carlo cruzou rasteiro na pequena área, mas Índio, de carrinho, não chegou a tempo de completar para o gol.

Aos 21 minutos, o Fantasma teve excelente chance de marcar. Quirino enganou a zaga do Atlético-AC, avançou para a linha de fundo e cruzou. A bola encontrou Jean Carlo, mas o meia demorou para chutar e o goleiro Miller conseguiu fazer a defesa. Dois minutos depois, Dione fez bom cruzamento para Quirino, mas a cabeçada do atacante passou à esquerda do gol.

O Operário estava calmo na partida, mas a desorganização do Atlético dava brechas para novas oportunidades. Aos 38, Dione chutou de fora da área e obrigou Miller a fazer boa defesa. Na sobra, Robinho pegou deu direita mas mandou longe do gol.

No fim, o Galo Carijó foi para o tudo ou nada. Aos 40, Rafael fez boa jogada individual e finalizou. O goleiro Simão se esticou todo e fez um milagre para evitar o gol da equipe visitante. A boa  defesa do Operário se recuperou, evitou as ações do Atlético e ajudou o Fantasma a carimbar o passaporte para a final da Série D.

FICHA TÉCNICA
OPERÁRIO 2 X 0 ATLÉTICO-AC

Operário: Simão; Danilo Baia, Sosa, Tiago Alencar e Peixoto; Chicão, Índio, Jean Carlo (Daisson) e Robinho (Serginho Paulista); Quirino e Schumacher (Dione).
Técnico: Gerson Gusmão.

Atlético-AC: Miller; Weverton, Juan, Diego e Jeferson; Leandro, Renato (Tragodara) e Psica (Altemir); Eduardo (Geovani), Polaco e Rafael Barros.
Técnico: Álvaro Miguéis.

Local: Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR).
Data/Horário: 
28/08/2017, às 21h15.
Árbitro: 
Alisson Sidnei Furtado (TO)
Assistentes: 
Fabio Pereira (TO) e Cipriano da Silva Sousa (TO)

Público/Renda: 6.386 pagantes | 7.030 total | R$ 140.140,00
Cartões Amarelos: 
Índio e Quirino (Operário). Jeferson (Atlético-AC).
Gols: Robinho, aos 8’ e Schumacher, aos 15’ do 1º tempo para o Operário.

Foto: José Tramontin/Operário Ferroviário Oficial.

Siga em:
Com pênalti perdido
De olho no líder, F

Estudante de Engenharia, fanático por futebol. Encontro nos textos uma forma de desenvolver novas aptidões e acompanhar de perto os bastidores do futebol.

Classifique este artigo