“O acesso coroou as duas melhores equipes”, disse Índio Ferreira, técnico do Nacional AC

Após o acesso para a Segundona de 2019, o Nacional AC encerrou sua participação no Campeonato Paranaense da Terceira Divisão com o título da competição, ao derrotar o Apucarana Sports no placar agregado de duas partidas. O treinador do NAC afirmou que as duas equipes que subiram, foram merecedoras pelo que fizeram ao longo do campeonato.

O técnico campeão da Terceirona, Índio Ferreira comentou sobre o merecimento das duas equipes que subiram de divisão. “Eu acredito que [o acesso] coroou as duas melhores equipes, as duas melhores equipes da competição, as duas equipes que mais se estruturaram, fizeram um trabalho realmente profissional, chegaram com mérito e chegaram com folga para essa final, muito mérito para a equipe do Apucarana Sports, uma equipe muito bem montada, muito difícil de se jogar e nós tivemos a oportunidade de trazer o último jogo para a nossa casa, para dentro dos nossos domínios, nos tornamos uma equipe muito forte, não perdemos aqui [Estádio Érich George] ainda e continuou essa hegemonia”, declarou o treinador campeão da Terceirona.

Índio também destacou todo o trabalho de seus atletas. “Quem está de parabéns são os atletas, pelo que eles fizeram e pelo que batalharam, foram totalmente comprometidos com aquilo que foi proposto desde o início da pré-temporada, a proposta que nós estabelecemos e graças a Deus, eles conseguiram, agora estão de parabéns pelo que fizeram, estão de parabéns pela campanha que foi feita e estão de parabéns pelo jogo que foi realizado, no segundo tempo foi uma pressão muito grande, mas conseguimos superar, superamos porque temos uma equipe forte e experiente”, afirmou o treinador do Nacional AC.

Nacional AC de Rolândia é o campeão da Terceirona em 2018. Foto: Nacional AC Oficial.

Sobre o treinador, o atacante e artilheiro da competição, Matheus Paraná destacou todo o trabalho do Índio Ferreira. “Primeiro, ele confiou em todos, ele é um excelente profissional, tratou a gente como filhos dele, lógico que teve um monte de coisas que acontecem no dia-a-dia, mas soubemos conduzir esses problemas que tivemos extra-campo, tudo em paz e harmonia, e conseguimos coroar com o título e subindo o time”, falou o artilheiro da competição com sete gols junto com Salatiel, do Apucarana Sports.

Antes do início da competição, o Redação em Campo conversou com o técnico Índio Ferreira que destacou as dificuldades de jogar a Terceirona, após se sagrar campeão, o treinador afirmou que houveram alguns pontos fora da curva, mas que em um todo, saiu como planejado. “É obvio que fica alguns pontos que nós gostaríamos que saísse diferente dentro da competição, aquela derrota que nós tivemos contra o Grêmio Maringá, não estava dentro dos nossos planos, mas como falei no início, seria uma competição difícil, complicada, pois jogar uma Terceira Divisão muitas pessoas acham que é fácil, porém não é, se você analisar todos os nossos adversários, todos eles tinham jogadores de Primeira Divisão, é uma competição muito forte. Eu falei para eles que essa decisão, eu senti até mais emoção, de coração mesmo, não porque eu ganhei uma Terceirona, mas foi mais forte e contagiante do que quando venci uma Copa do Brasil em 1999, pelo Juventude. Tínhamos uma equipe muito competitiva aquela época, mas essa eu comandei e no início da competição, nossa equipe foi desacreditada por alguns jogadores terem uma idade mais avançada, mas eles mostraram personalidade e mostraram tudo aquilo que eles sabem fazer, jogaram futebol, então esse título representou muito para mim, principalmente como treinador”, enfatizou o comandante do NAC.

Índio Ferreira declarou ao final da partida que acertou a sua ida para o Nacional de Patos (PB), onde disputará o Campeonato Paraibano, mas deixou as portas abertas para que se o calendário der condições, voltar ao clube para a Segundona de 2019. “Tudo pode acontecer, mas o objetivo agora é já pensando no Nacional de Patos (PB), já temos que pensar em contratações e em montar o elenco, tenho a possibilidade de levar uns quatro ou cinco jogadores aqui do Nacional AC, uns jogadores também do Apucarana Sports, já pedi para o presidente do clube paraibano para entrar em contato com as diretorias do Apucarana e Nacional AC, até para manter um vínculo com os atletas que trabalhamos”, disse Índio Ferreira.

O atacante Matheus Paraná encerrou a Terceirona como artilheiro ao lado de Salatiel, do Apucarana Sports com sete gols. Foto: Nacional AC Oficial.

O atacante Matheus Paraná comentou que quer aproveitar esse final de ano, descansar e que ainda não foi procurado por nenhum clube para a sequência da carreira. O objetivo pessoal era terminar como artilheiro e foi alcançado. “A gente sempre pensa no melhor para a gente, primeiro é o grupo e conseguir os objetivos junto com o clube, fiz o trabalho correto e treinei bastante para conseguir esse objetivo, fui coroado com tudo, sendo artilheiro e o time sendo campeão”, finalizou Matheus Paraná.

Foto: Nacional AC Oficial.

Siga em:
FPF divulga tabela d
Associação de inte

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo