16 de October de 2017 6:07:18

Nos pênaltis, Operário despacha Espírito Santo-ES e está a um mata-mata do acesso na Série D

Dramático. Essa foi a melhor definição para o confronto entre Operário e Espírito Santo, pelas oitavas de final da Série D. Após perder a partida de ida por 1 a 0, o Fantasma devolveu o placar neste domingo (30) no Estádio Germano Krüger e o duelo foi para a definição nas penalidades. O gol do Alvinegro no tempo regulamentar foi marcado por Schumacher, que estava bastante desacreditado pela torcida.

Nos pênaltis, a estrela de Simão brilhou. O Fantasma converteu todas as quatro cobranças que fez, Simão defendeu a cobrança de Edmar, e Marcelinho mandou para fora. Agora o Alvinegro aguarda o resultado das demais partidas para conhecer seu adversário nas quartas de final do nacional.

Operário cria chances claras de gol, mas esbarra no goleiro Alan

A diretoria chamou, e a torcida fez a sua parte. Os operarianos lotaram o Estádio Germano Krüger, como há muito não se via, para a partida de volta das oitavas de final da Série D, diante do Espírito Santo (ES).

Em campo, o Fantasma não começou bem. Dominou a posse de bola, mas os jogadores encontraram muita dificuldade para criar jogadas. Além disso, o time estava se precavendo muito para não levar contra-ataques, e arriscava pouco. Por conta disso, a primeira boa chance só veio aos 10 minutos. Athos cruzou escanteio na área, mas Danilo Baia não conseguiu completar para o gol.

A equipe capixaba também estava atenta na partida e dois minutos depois respondeu. Vitinho fez jogada pelo meio e chutou, mas Sosa se recuperou no lance e conseguiu bloquear. O Fantasma conseguiu levar perigo aos 18 minutos, quando Batatinha fez jogada individual e chutou, mas Alan fez grande defesa e salvou o Espírito Santo.

Aos 28 minutos, o técnico Cleiton Marcelino foi obrigado a queimar sua primeira substituição. Ronaldo, machucado, deixou o campo para a entrada de Ranieri. A qualidade defensiva do time capixaba continuou, e o Alvinegro continuava encontrando dificuldades para criar.

Aos 37 minutos, porém, Washington teve ótima chance após tabelar com Athos. O meia, na cara do gol, tentou arrumar a bola para a perna esquerda, e possibilitou que Martinelli se recuperasse para cortar o chute. Um minuto depois, após cobrança de escanteio, Quirino finalizou. Alan Faria, com um reflexo surpreendente, fez um verdadeiro milagre e segurou a bola em cima da linha. O Fantasma continuou segurando a bola até o intervalo, mas não encontrou o caminho do gol.

‘Desacreditado’ deixa tudo igual no agregado e partida vai para os pênaltis

O Operário voltou para o segundo tempo sem alterações. O ímpeto continuava ofensivo, mas o Espírito Santo se fechava cada vez mais. A resposta de Gerson Gusmão foi tirar Acácio para colocar Robinho. A alteração mexeu com o Fantasma, e aos 14 minutos a equipe teve grande chance. Lucas Batatinha cruzou para a área e Athos, de cabeça, mandou a centímetros do travessão.

O tempo ia passando, e o técnico Gerson Gusmão fez uma substituição ousada. Tirou Athos, meia de criação, e colocou o grandalhão Schumacher, centroavante. Logo no primeiro lance bom do atacante, ele fez a festa da torcida. Após cruzamento de Danilo Baia, Quirino desviou de cabeça para o meio da área e Schumacher, de chapa, colocou no fundo do gol.

Após o gol, o Fantasma continuava melhor na partida. O Espírito Santo também resolveu sair mais para o jogo, mas a defesa do Operário fazia grande jogo e conseguia neutralizar as jogadas. A disputa passou a ser no domínio do meio, mas nenhuma das equipes chegou com grande perigo. Ao fim da segunda etapa, o técnico Cleiton Marcelino tirou o goleiro Alan Faria e colocou Camillato para a disputa de pênaltis.

Fantasma sobra nos pênaltis e avança no campeonato

O Operário mostrou que estava afiado nos pênaltis. O Alvinegro converteu todas as cobranças que fez. Pelo lado do Espírito Santo, Marcelinho mandou para fora e Simão defendeu a cobrança de Edmar. Fantasma classificado, torcida em festa.

FICHA TÉCNICA
OPERÁRIO 1 (4) X (2) 0 ESPÍRITO SANTO (ES)

Operário: Simão; Danilo Baia, Sosa, Alisson e Acácio (Robinho); Chicão, Índio, Athos (Schumacher) e Washington; Quirino e Lucas Batatinha (Jean Carlo).
Técnico: Gerson Gusmão.

Espírito Santo (ES): Alan Faria (Camillato); Edmar, Martinelli, Leandro e Serrano; Ronaldo (Ranieri), R. Cesar, Marcelinho e Vitinho; Nilo e João (Makelele).
Técnico: Cleiton Marcelino.

Local: Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR).
Data/Horário:
30/07/2017, às 15h30
Árbitro:
Paulo Sergio Santos Moreira (MA) 
Assistentes:
Carlos André Pereira Sousa (MA) e Antonio Adriano de Oliveira (MA)

Público/Renda: 3870 pagantes|4255 total|R$ 67750,00
Cartões Amarelos:
Sosa, Danilo Baia e Chicão (Operário). João, Edmar e Marcelinho (Espírito Santo).
Gols: Schumacher, aos 25’ do 2º tempo para o Operário.

Foto: Bianca Machado/Operário Ferroviário Oficial

 

Siga em:
Com Nikão e possív
Operário conhece ad

Estudante de Engenharia, fanático por futebol. Encontro nos textos uma forma de desenvolver novas aptidões e acompanhar de perto os bastidores do futebol.

Classifique este artigo