Londrina tem bom desempenho defensivo, mas o setor ofensivo ainda preocupa

Depois de ficar no zero a zero com o Atlético Goianiense, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, o Londrina começa a ver o seu desempenho defensivo funcionar, sofrendo poucos gols e sofrendo pouco durante os jogos, mas o setor ofensivo ainda preocupa a torcida e o técnico Marquinhos Santos, o time tem poucas chances e nas poucas oportunidades, não conseguem transformar em gol.

Na partida diante do Dragão, o comandante do Tubarão entrou com três zagueiros, perdeu no começo ainda da partida Luizão, o que fez Dirceu entrar na sua vaga. Com cinco jogos, o Alviceleste só sofreu dois gols, contra o Paysandu e Fortaleza, nas demais a defesa ficou intacta. O volante Germano falou sobre o empate. “Olhando para o jogo, tivemos um segundo tempo muito melhor que o primeiro, tivemos uma intensidade muito maior, tanto de posse de bola como de chances criadas para poder finalizar”, afirmou o camisa 8 do Tubarão.

Se a defesa passa por um bom momento, o mesmo não se pode dizer do sistema ofensivo, que em cinco partidas balançou as redes adversárias em apenas três vezes. Contra o clube goiano, Dalberto e Luccas Brasil tiveram chances claras, mas não conseguiram concretizar em gol. “Pensamos na semana, em qualificar o último terço de campo, isso tem me incomodado, tem tirado o meu sono, da maneira que gosto de jogar, um time mais solto, um time mais para frente em relação aos últimos jogos, mas falta ainda qualificar a última bola, o último passe para que possamos sair vitoriosos desses jogos”, enfatizou o técnico Marquinhos Santos.

Agora o Londrina só volta a campo no próximo sábado (19), às 16h30, contra o CSA (AL), no Estádio do Café, pela 6ª rodada da Série B. Um jogo que será marcado por homenagens, já que no dia anterior irá completar 38 anos do principal título de sua história, a Taça de Prata, contra o próprio CSA, em 1980.

Foto: Paulo Marcos/ Atlético Goianiense Oficial.

Siga em:
Técnico Rogério Mi
Com um a menos, Cian

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo