21 de January de 2018 12:54:54

Londrina inaugura memorial Edson Henrique dos Santos

No último sábado (16), a diretoria do Londrina inaugurou o memorial Edson Henrique dos Santos, em uma das dependências do Estádio Vitorino Gonçalves Dias, em homenagem ao seu Edson, que está há quase 30 anos cuidando diariamente do VGD. No local, estão reunidos quase todos os troféus do clube, camisas e memorias dos quase 62 anos de história do Tubarão.

No dia 4 de novembro de 2016, o Londrina Esporte Clube divulgou um vídeo, onde em primeira mão, Edson Henrique dos Santos, administrador do Estádio VGD saberia que seu nome seria utilizado no memorial que o clube inaugurou no último sábado (16). O vídeo chegou a quase 100 mil visualizações e emocionou muitos torcedores do Londrina através do choro de seu Edson, emocionado ao receber das mãos do até então presidente do Londrina, Felipe Prochet, a placa indicando o nome do memorial.

Em todo este período de construção do memorial, seu Edson não entrou no local nenhuma vez, guardando o momento para a inauguração. “É uma alegria enorme para nós, poder preservar essa história do Londrina e conseguir mostrar para toda população de Londrina. A emoção do seu Edson transmite para todos que estão aqui, mas lembrando que desde o dia que demos o nome do memorial, ele não desceu aqui, mais de um ano que estamos trabalhando em cima do memorial, o seu Edson conseguiu aguardar até este momento para ver a realização deste sonho de todo torcedor e de toda diretoria do Londrina”, enfatizou Felipe Prochet, ex-presidente do Londrina e hoje vereador da cidade, ele que foi o idealizador do projeto do memorial.

O Sr. Edson Henrique dos Santos recebeu das mãos do ex-presidente e idealizador do memorial, Felipe Prochet, uma placa comemorativa por toda sua dedicação pelo Londrina Esporte Clube. Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Após a cerimônia no gramado do Estádio Vitorino Gonçalves Dias, seu Edson após mais de um ano, entrou no memorial que leva seu nome e ficou impressionado com o que viu. No meio do ano, o Redação em Campo conversou com o seu Edson, que revelou não ter entrado no local ainda e seria um bom teste para o seu coração. “Tá aprovado [o coração], tanto o espaço como meu coração, uma emoção muito grande, de ver tudo que era isso e ver a transformação e meu nome no memorial, não tem dinheiro que pague isso”, comentou emocionado o Sr. Edson Henrique dos Santos.

Após a intervenção judicial em 2009 e antes da SM Sports assumir o futebol do Londrina, seu Edson diariamente comparecia ao VGD para cuidar de tudo que estava no estádio. “Nós tínhamos muita coisa que estava aqui no VGD abandonado, jogado nas salas do estádio, então contamos com a ajuda de muitas pessoas para trazer essas histórias vivas”, disse o atual presidente do Londrina, Cláudio Canuto, que ainda completou. “O Edson é um cara que é o símbolo do torcedor do Londrina, um cara que ficou um ano vindo nesse VGD todos os dias sem receber um real de salário, então uma homenagem justa de um cara que gosta realmente do clube”, terminou contando um fato de seu Edson.

De frente para a Avenida Jorge Casoni, a entrada do memorial Edson Henrique dos Santos, no Estádio Vitorino Gonçalves Dias. Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Sobre este caso, seu Edson lembrou do tempo que ficou um ano sozinho cuidando do VGD. “Teve uma época que fiquei um ano sozinho aqui dentro, cuidando de tudo isso e isso [troféus e memorias do Londrina] estava guardado, então eu tive um pensamento que isso um dia iria acontecer [um memorial do clube], muitas vezes pensei que não iria dar resultado, mas de sete anos para cá, com o término de todas essas coisas que tiveram, juntamente com a SM Sports, com os diretores, o Cláudio, depois o Felipe e agora o Cláudio Canuto de novo, nós conseguimos levantar o clube para mostrar o quanto ele é grande”, finalizou Edson Henrique dos Santos.

Uma semana antes da inauguração, vários ex-jogadores do Londrina puderam conhecer o local, onde todas as conquistas, fotos e feitos deles estão expostos ao torcedor do Tubarão. O ex-atacante de 1980 e 81, Paulinho, conhecido com O Canhão de Pinhal, falou sobre a emoção de ver a história dele reunida em um local e a taça que ele beijou na final de 1980. “Eu nem lembrava mais de como era a taça [Taça de Prata], é muita emoção, interessante em ter uma camisa com o meu autógrafo, estou lembrando da camisa que jogávamos que era de linha, é sensacional, o Londrina merecia isso. Isso é gratificante para a gente, vir aqui, ver e recordar essas coisas maravilhosas, isso não é uma estória com ‘e’, é uma história com ‘h’, para ficar eternamente aqui na cidade”, afirmou o ex-camisa 9 do Londrina, que foi campeão da Taça de Prata de 1980 e do Campeonato Paranaense de 1981.

O ex-atacante do Londrina, Paulinho, o Canhão de Pinhal, obeserva uma foto sua na comemoração do título da Taça de Prata de 1980. Foto: Gustavo Oliveira/ Londrin EC Oficial.

A intenção da diretoria do Londrina é deixar o memorial aberto para a visitação do torcedor do Londrina e também que o local vire um ponto turístico da cidade. “Estaremos aberto para quem quiser ver o memorial, mas agora queremos trabalhar com uma agenda principalmente com escolas, nosso foco também é trazer os garotos, colocar o memorial do Londrina Esporte Clube como um dos pontos turísticos de Londrina”, finalizou o presidente do Londrina, Cláudio Canuto.

Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Siga em:
Foz do Iguaçu enfre
REC é campeão do R

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo