Londrina comemora 55 anos do seu primeiro título estadual

No dia 21 de abril de 1963, o Londrina conquistava o seu primeiro grande título da história, o Campeonato Paranaense de 1962. Apesar das partidas finais terem acontecido no ano seguinte, a competição era válida por 1962. Muitas pessoas que acompanharam aquele campeonato e outros, afirmam que foi a conquista mais difícil da história do até então, Caçula Gigante. Os grandes nomes da conquista foram Chinezinho, Paulo Vecchio e Gauchinho.

Comandado pelo técnico argentino Floreal Garro, o Londrina montou uma equipe para ser campeão do Paraná e figurar entre as grandes equipes no cenário estadual. Após mais de sete anos de espera, o Caçula Gigante levantou a taça da competição paranaense. Naquela época, o Campeonato Paranaense era dividido em três partes regionais: Sul, Norte e Norte Pioneiro. Pela região Sul, o Coritiba foi campeão e garantiu sua vaga no triangular final. Pelo Norte Pioreiro, a Cambaraense sagrou-se campeã e na região Norte, Londrina e Apucarana terminaram a competição com o mesmo número de pontos.

O radialista José Mateus de Lima, conhecido como Jota Mateus acompanhou aquela campanha do Londrina e descreveu como a conquista mais difícil da história do clube. “O título de 1962 que foi decidido em 1963, foi a conquista mais difícil da história do Londrina, naquela época tínhamos o campeonato do Norte, do Sul e do Norte Pioneiro. O regulamento era o seguinte, os campeões de cada região faziam um triangular depois para saber quem seria o campeão do Paraná. Para ser campeão do Norte, o Londrina sofreu muito, porque ele teve que decidir em quatro jogos o título com o Apucarana”, afirmou o radialista.

Nesta fase, em 22 partidas, o Caçula Gigante conquistou 14 vitórias, teve seis empates e apenas duas derrotas, para Mandaguari e Cambé. Com duas equipes empatadas com o mesmo número de pontos, a decisão foi fazer uma final com a melhor de três partidas para decidir quem seria o campeão da região Norte. A primeira partida aconteceu em Apucarana e terminou empatado com o placar de 1 a 1. O segundo jogo foi em Londrina, no Estádio Vitorino Gonçalves Dias e vitória do clube da “Cidade Alta”, por 2 a 1. O terceiro e que poderia ser o jogo decisivo aconteceu em um campo neutro, em Curitiba, mas o Londrina derrotou o Apucarana por 3 a 2 e forçou uma quarta e decisiva partida. Em outra partida, que aconteceu novamente em Curitiba, no dia 13 de março e o Londrina venceu por 2 a 1 e sagou-se campeão do Norte.

Enfim campeão do Norte, o Londrina foi disputar o triangular final contra o Coritiba e Cambaraense. Em 1963, o Londrina ainda tinha seu nome como Londrina Futebol e Regatas e só virou Londrina Esporte Clube em 1970. O triangular final se inciou no dia 7 de abril em Cambará, na partida entre Cambaraense e Londrina. O jogo terminou com o empate por 3 a 3. Três dias depois, foi a vez do Caçula Gigante receber o Coritiba, no Estádio VGD. Com grande atuação, o Londrina venceu por 4 a 2. Quatro dias depois, o Coxa foi à Cambará e ficou no empate por 3 a 3 com o clube da casa.

Os jogos da volta aconteceram a partir do dia 17 de abril, com o confronto entre Coritiba e Cambaraense, no Estádio Belford Duarte, antigo nome do Estádio Couto Pereira. Nela, o Coxa não tomou conhecimento do adversário e venceu por 4 a 0. Com apenas uma partida para realizar, o Coritiba precisava vencer o Londrina e contar com um tropeço do clube do norte paranaense para ser o campeão, com uma vitória do Londrina sobre o Coxa, o Caçula Gigante seria campeão por ainda realizar outra partida.

No dia 21 de abril de 1963, no Estádio Belfort Duarte, o Coritiba acabou derrotado pelo Londrina por 4 a 2 e o Caçula Gigante pôde comemorar o seu primeiro título estadual. Aos 8 minutos do 1º tempo, Chinezinho recebeu no meio-campo, passou pela marcação e quase sem ângulo, arriscou para o gol, o goleiro do Coxa não conseguiu fazer a defesa e o Londrina saiu na frente. Com 31′, Duílio ganhou na disputa com Juvenal e acionou Calita, que acertou um belo chute para empatar o jogo.

Aos 40′, Paulo Vicchio tocou de cabeça para Gauchinho, o artilheiro nem esperou a bola cair no chão e emendou um ótimo chute para colocar o time interiorano novamente na frente. Três minutos depois, em triangulação entre Gauchinho, Chinezinho e Paulo Vecchio, envolveram toda a defesa adversário e Vecchio da entrada da área bateu para o gol e balançou as redes de Bira, 3 a 1 para o Londrina. No segundo tempo, o Coxa descontou, com 8 minutos, Miltinho cruzou a bola na área, o goleiro Zuza e os zagueiros Juvenal e Berto se atrapalharam, mas Duílio de cabeça, chegou e fez o segundo gol do clube da casa. Já nos minutos finais de jogo, aos 40′, Lelo lançou Juvenal em profundidade, na ponta da área, o atleta do Londrina bateu cruzado e a bola morreu nas redes de Bira, fechando o placar e dando o título para o Londrina.

Comemoração do titulo do Campeonato Paranaense de 1962, em Curitiba. Luis Santos, Gauchinho, Juvenal e Paulo Vecchio. Foto: Acervo Marcelo Dieguez.

Com a vitória, o Caçula Gigante comemorou o título na capital paranaense e foram recebidos com muita festa em Londrina, dois dias depois. Para encerrar o campeonato, com um VGD lotado, o Londrina recebeu a Cambaraense e ganhou por 4 a 1, para não deixar dúvidas do primeiro título estadual de sua história. Com todos os jogos, o Londrina fez 30 partidas, venceu 19, empatou 8 e sofreu apenas 3 derrotas. Fez um total de 64 gols, sofreu 35 e ficou com um saldo de 29 gols pró. Gauchinho com 18 gols, foi o artilheiro da equipe, seguido por Chinezinho com 14 tentos e Paulo Vecchio com 8 gols.

Foto do primeiro título: Em pé: Franchello (pres.), Pinheiro, Jair, Berto, Adelmar, Juvenal e Lelo. Agachados: Chinezinho, Paulo Vecchio, Gauchinho, Paulinho e Adamastor. Foto: Autor Desconhecido/ Restauração: Flávio Frim.

O time que foi campeão contra o Coritiba contou com os seguintes atletas: Zuza; Juvenal, Gabiroba e Lelo; Luiz Santos e Berto; Chinezinho, Paulo Vecchio, Gauchinho, Paulinho e Adamastor. Com o técnico Floreal Garro. O presidente do Londrina era o folclórico Carlos Antônio Franchello.

Foto: Autor desconhecido/ Restauração: Flávio Frim.

Siga em:
Resultado positivo p
Com festa da torcida

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo