Em “partida de xadrez”, Londrina não conseguiu sair com os três pontos em casa

Depois do empate por 1 a 1 com o Fortaleza, nesta terça-feira (1), no Estádio do Café, o Londrina lamentou não conseguir conquistar a totalidade de pontos dentro dos seus domínios. O técnico do Tubarão, Marquinhos Santos valorizou a partida que o Alviceleste fez, discutindo o pouco período de tempo entre dois confrontos, lamentou o pênalti não assinalado pelo árbitro e comentou que a partida pareceu com uma partida de xadrez.

O treinador do Londrina comentou sobre as estratégias para este confronto, tendo em vista que o Tubarão teve menos de 72h entre o jogo de sábado (28), em Campinas (SP) para este jogo diante do Tricolor cearense. “Poderíamos ter jogado em um nível maior, mas o cansaço não deixou e vale parabenizar o João [Carlos Ruiz, preparador físico], porque de um jogo sábado à noite, de intensidade alta, adversário difícil fora de casa, conquistamos o resultado e vir na terça-feira e apresentar essa intensidade de jogo no qual se teve, organizado, digo que esse jogo foi uma partida de xadrez, um tabuleiro de xadrez que a mexida tanto desse lado, como do lado do Fortaleza, uma peça errada, o time poderia ter saído com uma derrota”, analisou o comandante do Londrina.

Com o gol marcado logo aos dois minutos, o time Alviceleste se posicionou atrás da linha da bola e esperou o adversário durante todo o primeiro tempo, nesta questão, Marquinhos Santos comentou que este estilo de jogo fez parte da estratégia da partida. “Era uma estratégia de jogo e pelo desgaste os jogadores estavam no intervalo extremamente cansados, tivemos que ter uma conversa para que eles pudessem ter a posse da bola, reter a bola e não poderíamos alongar o campo”, afirmou o técnico do Londrina.

Os atletas do Tubarão reclamaram de um pênalti em cima de Wesley, ainda no primeiro tempo, quando a partida estava 1 a 0 a favor do Londrina. O Fortaleza também reclamou de um gol anulado na segunda etapa. O lateral-esquerdo Roberto lamentou a não marcação do pênalti. “Realmente no gol deles não vi [a posição de impedimento], de onde eu estava não dava para ver, mas só que também achei que o lance do pênalti, todo mundo ouviu o cara batendo no Wesley, mas é normal, vida que segue e agora é pensar no Atlético Goianiense, que agora é o jogo mais importante”, finalizou o camisa 6 do Londrina.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, o Londrina volta a jogar fora de casa, em Goiânia (GO), contra o Atlético Goianiense, do velho conhecido Cláudio Tencati, no Estádio Olímpico, na sexta-feira (11), às 21h30. Após dois jogos em curto período, o Tubarão terá 10 dias até o confronto em Goiás.

Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Siga em:
Foz Cataratas empata
Operário experiment

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo