Em ano de Série D, Prudentópolis decepciona no Campeonato Paranaense

Decepção. Esse é o sentimento do torcedor do Prudentópolis neste início de 2018. Após uma boa temporada no ano passado, terminando na sexta colocação geral o Campeonato Paranaense e assim garantindo uma vaga na Série D deste ano, tudo começou mal. Rebaixado no Estadual, sendo o último colocado, e conquistando apenas uma vitória na competição (na última rodada), o time vai para disputa do Campeonato Brasileiro sem grandes expectativas do torcedor. Mas antes de pensar no campeonato nacional, é preciso avaliar os três primeiros meses de futebol do Prude.

Expectativa x realidade: O Prudentópolis sofreu

Sob o comando do ex-jogador e agora técnico Júlio Sérgio, o Prude fez alguns testes na pré-temporada. O empate contra o recém-promovido e agora também rebaixado CE União por 1 a 1 foi de variações táticas. Já contra o Joinville, fora de casa, o time teve uma atuação mais defensiva e a vitória por 2 a 1 aumentou a expectativa para 2018. Porém, a forma como a equipe atuou naquele jogo-treino, foi raramente vista ao longo das onze partidas do Paranaense. O último teste antes da estreia foi diante do Operário, derrota por 2 a 0, o sinal de alerta deveria ser ligado, mas não foi.

Em onze partidas disputadas, o aproveitamento foi pífio: 24%, ou então, uma vitória, cinco empates e cinco derrotas. Foram apenas oito gols marcados, o pior ataque da competição, e quinze sofridos, a segunda defesa mais vazada. A falta de vitórias incomodou em Prudentópolis, foi o time que menos venceu e que mais empatou no Estadual. Em casa foram seis partidas, venceu apenas o CE União (3×1) já na última rodada da Taça Caio Júnior, quando estava matematicamente rebaixado. Além da vitória, empatou duas vezes (Maringá, Cianorte e Toledo) e somou outras duas derrotas (Foz do Iguaçu e Atlético-PR). Já longe do Newton Agibert foram dois empates (Coritiba e Londrina) e três derrotas (FC Cascavel, Paraná e Rio Branco).

A estreia no Estadual teve dois lados. Jogando contra o Coritiba, no Couto Pereira, o time dominou a primeira etapa e abriu o placar, mas teve alguns apuros no segundo tempo, sofrendo inclusive o gol de empate. No momento o ponto conquistado foi comemorado, mas se analisar após a competição, poderia ter ganho, já que muitas equipes tiraram pontos do Coxa em todo o campeonato. Com o ponto somado na estreia, o sinal de alerta nem tinha chances de ser ligado em Prudentópolis.

O clube encerrou a Taça Dionísio Filho, o primeiro turno, na lanterna do Grupo B, com apenas três pontos, e o ataque balançando as redes em duas oportunidades. Um time que não marca gols, não vence.

Carências e mudanças

Com um elenco bem reduzido, a falta de opções também prejudicou o técnico Júlio Sérgio, que inclusive teve sua parcela de culpa no rebaixamento. O treinador ficou a beira do gramado até o décimo jogo, sendo substituído apenas no último pelo auxiliar-técnico Paulo Massaro.

Júlio Sérgio iniciou a competição jogando no 4-4-2, com o experiente lateral-direito Nei sendo a principal referência do time. Sem resultados, o técnico mexeu na forma de jogar apenas no segundo turno, atuando com três zagueiros. O time cresceu de rendimento, marcou mais pontos, gols e foi vazado menos vezes. Porém foi pouco. O Campeonato Paranaense de 2018 pode-se dizer que teve um “nivelamento por baixo”, e o Prude não aproveitou. A prova do nível do campeonato foi que faltando duas rodadas para terminar, um time que não havia vencido sequer um jogo [no caso o Prudentópolis] poderia se salvar, bastava vencer Rio Branco e União, porém fez somente metade do necessário.

Relação clube x torcedor

O Prudentópolis teve uma média de público de 395 pagantes por jogo no Estádio Newton Agibert, frustrando a expectativa do clube. Os maiores públicos aconteceram nos duelos contra Atlético (751 pagantes) e Foz do Iguaçu (708 pagantes). Já contra o CE União, quando estava rebaixado na despedida da competição, apenas 55 pagantes entraram no estádio.

O contato entre clube x torcedor também foi baixo nas mídias sociais. Na principal rede social do Prude, o Facebook, houve pouca participação da torcida, sendo em muitos momentos de críticas após os jogos. As principais atualizações eram em fotos das partidas, ficando assim o torcedor sem poder acompanhar informações de treinamento e entrevistas.

Os jogos

Taça Dionísio Filho:
Coritiba 1×1 Prudentópolis
FC Cascavel 2×0 Prudentópolis
Prudentópolis 0x1 Foz do Iguaçu
Prudentópolis 0x0 Maringá FC
Paraná 3×0 Prudentópolis
Prudentópolis 1×1 Cianorte

Taça Caio Júnior
Londrina 1×1 Prudentópolis
Prudentópolis 1×2 Atlético-PR
Prudentópolis 0x0 Toledo
Rio Branco 3×1 Prudentópolis
Prudentópolis 3×1 CE União

Futuro

Antes de pensar na disputa de outra Segundona Paranaense na história do clube, o foco será no Campeonato Brasileiro da Série D. Novos jogadores devem e precisam chegar, a estreia será em menos de 30 dias. No Grupo A17, o Prude encara Mogi Mirim-SP, Brusque-SC e São José-RS em jogos de ida e volta. O primeiro colocado e os 15 melhores segundos avançam na competição para fase mata-mata.

Foto: Lucas Henrique/Prudentópolis Oficial.

Siga em:
Maringá FC inicia p
Atlético pressiona

Formado em Jornalismo e Letras, estou no Redação em Campo desde 2013 e atualmente exerço a função de Coordenador de Jornalismo. Também sou professor de Língua Portuguesa.

Classifique este artigo