17 de December de 2017 5:41:11

Destaque do Londrina em 2017, goleiro César espera manter o bom momento em 2018

O goleiro do Londrina, César de 22 anos, nascido na cidade mineira de Uberaba, foi um dos grandes destaques do Tubarão nesta temporada de 2017, não só por suas atuações, mas por sua história dentro do clube até chegar aos profissionais. O arqueiro teve boas atuações durante a reta final do Campeonato Paranaense, em quase todo Campeonato Brasileiro da Série B, porém, sua trajetória na reta final da Copa da Primeira Liga foi onde os torcedores alvicelestes colocaram nele a acunha de “herói”, por ter defendido três penalidades na semifinal diante do Cruzeiro e duas na decisão diante do Atlético Mineiro, onde garantiram o título da competição para o clube paranaense.

Começando como goleiro em um time de Uberaba (MG), César se destacou em uma liga da cidade em 2011, onde um olheiro gostou das suas atuações e trouxe o jovem arqueiro para o Junior Team, que é de Londrina. Aos 16 anos, chegou ao clube londrinense e disputou dos Campeonatos Paranaenses Sub-17, onde teve conquistas e assim surgiu a oportunidade de jogar no Londrina. “Tinha feito um campeonato em 2011, em uma liga de Uberaba, um rapaz que hoje é amigo meu, viu meu trabalho e me levou para o Junior Team. Lá foram dois anos, em 2012 campeão e em 2013, vice-campeão. Em 2014, integrei nas categorias de base do Londrina”, disse César.

Desde que a gestão do futebol do Londrina é controlado pela SM Sports, o Londrina sempre revelou grandes goleiros, como: Danilo, vítima da tragédia no voo da Chapecoense; Vitor, que por conta da sua religião, abandonou o futebol; e Marcelo Rangel, que hoje está no Goiás. Em 2014, César chegou ao Tubarão, mas não passava por sua cabeça ser titular da equipe. “Cheguei muito novo [ao Londrina], até então não sonhava em galgar a titularidade. Eu procurava fazer parte da categoria de base, disputar os campeonatos que tinham para serem disputados e o sonho era ser integrado ao elenco profissional, essa era minha meta na época. E tudo foi muito rápido, em 2015 fui integrado ao elenco profissional e em 2017, fiz minha primeira partida como titular”, afirmou o arqueiro de 22 anos.

Uma particularidade de César, é que ele nunca havia atuado com a camisa do Londrina nas categorias de base e no profissional até que a oportunidade surgiu, diante do JMalucelli, no Campeonato Paranaense de 2017. O titular Alan, sentiu uma lesão no aquecimento e poucos minutos antes do início da partida, César soube que seria titular no gol alviceleste. “É curiosidade isso aí, eu nunca fiz um jogo pelo Londrina, nunca tive a oportunidade de jogar nas categorias de base, todos esses anos que passaram foram treinando e esperando minha oportunidade e graças a Deus, neste ano em 2017, contra o JMalucelli, lá em Curitiba. Estava aquecendo normal, o Alan sentiu uma dor no adultor, ele já vinha com um desconforto por conta da rotina de jogos, então o professor Edson Sabiá, que é o preparador de goleiros conversou comigo e me disse ‘você vai jogar’. O goleiro tem que estar preparado, independente da situação, temos que estar prontos para desenvolver o que treinamos a semana toda e graças a Deus saímos com o empate, foi 0 a 0 e minha estreia foi muito boa”, contou o goleiro sobre sua estreia com a camisa do Londrina.

Neste ano, César fez 46 jogos pelo Londrina, com 23 vitórias, 10 empates e 13 derrotas, sofrendo no total 50 gols e terminando 17 partidas sem ser vazado. Sobre este 2017, César comentou que foi um ano maravilhoso para ele. “Particularmente meu ano foi maravilhoso, dei meu máximo, consegui ajudar minha equipe a conquistar o título da Copa da Primeira Liga, batemos na trave em relação ao acesso, mas acho que isso serve como amadurecimento e experiência para os próximos anos, se nós queremos temos de estar consolidados e não pode ser aquela de subir e depois cair de novo, tem que se manter na Série A. Sobre meu ano, estou muito feliz, foi um ano de muita luta e muita dedicação, recebi muitas críticas e elogios também, tem que saber ter um equilíbrio, consegui assimilar algo tão forte como ser titular do Londrina”, enfatizou o camisa 1 do Tubarão.

O grande ápice de César no Londrina em 2017, foi as cinco defesas de pênaltis na Copa da Primeira Liga, diante do Cruzeiro e Atlético Mineiro, sobre isso o arqueiro comentou que estudou os cobrados adversários para executar suas defesas e falou sobre o momento após defender a última cobrança contra o Galo, que deu o título nacional para o Tubarão após 37 anos. “Já sabia que se ele [Rafael Moura] errasse nós seríamos campeão, fiz minha obrigação que é defender o gol, mantive minha serenidade, calma, tomei a decisão certa, pois hoje estudamos os batedores. Então procurei ficar calmo e passar uma certa confiança, que estava tudo sobre controle, fomos felizes, vencemos a Copa da Primeira Liga, que foi muito importante para o clube, deu uma alavancada no nome Londrina Esporte Clube no cenário brasileiro, que foi muito bom e é prazeroso fazer parte de uma conquista como está”, declarou o “herói” da conquista como é intitulado pela torcida.

César defende a cobrança de Clayton, do Atlético Mineiro, uma das duas defesas na final da Copa da Primeira Liga. Foto: Robson Vilela/ Redação em Campo.

Além da grande temporada dentro de campo, César teve o nascimento da sua filha Júlia, em 2017. O goleiro diz que foi o momento mais feliz de toda sua vida. “O nascimento da minha filha é algo que quando estou triste ou muito deprimido, penso muito nela, é um ser que depende de mim e eu tenho que dar minha vida por ela. Isso me faz criar força mesmo quando estou desanimado, ela é o acontecimento mais feliz da minha vida, da minha vida inteira. Então, sem dúvida, ela é meu ponto de referência e meu refúgio. Quando penso nela minhas forças voltam e tenho coragem de encarar os problemas do dia-a-dia”, afirmou César.

Sobre o preparador de goleiros Edson Sabiá, César comentou que ele é mais que um “professor”, é um amigo dentro e fora dos gramados. “O ‘professor Sabiá’, nós temos uma relação muito boa dentro e fora de campo, ele procura me auxiliar não só dentro de campo, mas nas coisas da vida. Isso é muito importante, pois você trabalha todo ‘santo dia’ com uma pessoa e é o mínimo, temos de ter um elo de amizade bacana e legal. Então, ele é uma pessoa que me ajuda, que me orienta, que critica quando tem que criticar e elogia quando tem que elogiar, ele é de extrema importância, não só neste ano, se for ver tem o Danilo, o Vitor, o Marcelo [Rangel] e o Alan, ele formou vários goleiros e nestes seis anos não é sorte, é trabalho por parte dele e do goleiro que compra a ideia”, finalizou César sobre Edson Sabiá.

Apesar de ter seu nome especulado pelo Palmeiras, César deve continuar no Londrina no ano que vem e terá seu vínculo contratual renovado até final de 2020. Em 2018, o Londrina terá Campeonato Paranaense, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro da Série B pela frente e se a Copa da Primeira Liga tiver calendário para 2018, defender o título da competição.

Siga em:
Arbitral define regu
Prudentópolis inici

<p>Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.</p>

Classifique este artigo