Buscando resgatar a identidade da “era Tencati”, Marquinhos Santos inicia caminhada no Londrina

Depois da demissão de Ricardinho, na última quarta-feira (7), o Londrina anunciou o técnico Marquinhos Santos na quinta-feira (8) e apresentou o novo comandante na tarde desta sexta-feira (9). O treinador chega ao Tubarão em um momento conturbado, onde o Alviceleste briga para não ser rebaixado no Campeonato Paranaense. Mesmo com apenas três períodos de treinos, Marquinhos vai comandar o Londrina diante do União, de Francisco Beltrão.

Na sua chegada, Marquinhos avalia que a curto prazo seu maior desafio será livrar o Londrina das chances de rebaixamento e em um prazo maior, trazer a identidade da “era Tencati” de volta à equipe. “Primeiramente será o tempo, até porque já temos uma decisão no domingo, decisão na parte de baixo da tabela na classificação geral, que eu enxergo um potencial, um grupo pelo que vi, com muita gana, com muita vontade de buscar melhorar o rendimento dos últimos jogos. Então eu creio que possamos estar recuperando dar continuidade daquilo que o Tencati construiu aqui como identidade do Londrina e procurando adequar aquilo que o Ricardinho começou fazendo o trabalho, mas confiando nesse grupo de atletas”, afirmou Marquinhos Santos.

O novo treinador Alviceleste já trabalhou com vários atletas do elenco do Londrina, porém, neste momento de decisões, não contará com Germano e Keirrison, que estão lesionados, mas terá a disposição o zagueiro Dirceu e o meio-campo Thiago Primão. “De ver o potencial apesar do momento da equipe, entendo que tem atletas aqui com potencial, atletas que podem ajudar nesta reta final de Paranaense e querem aproveitar a oportunidade até para a sequência de temporada”, comentou o novo comandante Alviceleste.

Sobre a relação com a torcida, Marquinhos relembrou a final do primeiro turno do Campeonato Paranaense de 2013, quando Londrina e Coritiba, que era treinado por Marquinhos, fizeram um grande embate no Estádio do Café com mais de 30 mil pessoas. “A imagem que tenho fotográfica é entrando aqui [Estádio do Café] naquela decisão de turno, chegando aqui e vendo a torcida do Londrina completamente lotando o Estádio do Café, coisa que eu não via há muitos anos no futebol paranaense e se tratando de Londrina”. Marquinhos também lembrou de quando ainda jogava futebol e teve uma passagem pela cidade do norte paranaense. “É um clube que tenho um carinho imenso, joguei aqui no tempo do Hyogo, time japonês [tinha base em Londrina], tinha o Nichika, então a gente já teve aqui no Hyogo, teve por aqui, sabe do potencial do Londrina, eu ia no VGD [Estádio Vitorino Gonçalves Dias] assistir jogos do Londrina, então a gente acompanha a história do Londrina”, enfatizou sobre sua passagem pela cidade.

Sobre o momento do clube e o futuro na Série B do Campeonato Brasileiro, Marquinhos Santos foi claro que o pensamento está em tirar o Tubarão deste momento ruim para depois pensar na competição nacional. “Vamos passo a passo, nós temos que pensar no jogo de domingo [União], é o jogo mais importante que temos no ano, até então é o jogo de domingo, depois do jogo vamos pensar no Atlético, depois no Rio Branco, para depois começar pensar na Série B, que é o principal objetivo do Londrina. A gente sabe que tem essas três partidas finais, queríamos que o Londrina estivesse num melhor momento, buscando classificação, que estaria falando que buscar um classificação no jogo de domingo já, mas não é a realidade, não vou mentir para o torcedor, hoje a briga do Londrina é na parte debaixo da tabela na classificação geral”, finalizou Santos.

O Alviceleste recebe no Estádio do Café, o União de Francisco Beltrão, neste domingo (11), às 16h. O Tubarão tem sete pontos na classificação geral e o clube do sudoeste paranaense vem com um ponto a menos.

Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina EC Oficial.

Siga em:
Thiago Santos é vet
Sob novo comando, Ri

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo