Atlético-PR sofre gol de pênalti polêmico no último lance e é derrotado pelo Santos

Neste domingo (30), a partida entre Atlético-PR e Santos se encaminhava para um empate sem gols. A arbitragem, contudo, assumiu o protagonismo do confronto nos momentos finais de bola rolando. Aos 50 minutos, o juiz assinalou pênalti para o Peixe, que foi convertido por Carlos Sanchéz e deu a vitória mínima para o time da casa. O resultado deixou o Furacão na 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 33 pontos.

Na próxima rodada, o desafio do Atlético-PR será na Arena da Baixada. O Rubro-Negro enfrenta o América-MG, no próximo sábado (6), às 16h.

Primeira etapa de bastante equilíbrio

A chance real de se aproximar do pelotão da frente do Campeonato Brasileiro fez o Atlético partir para cima do Santos. Mesmo longe de seus domínios, o Furacão contou com um grande número de torcedores na Vila Belmiro, que empurraram os jogadores e motivaram uma boa atuação dos visitantes.

As intenções do Rubro-Negro foram vistas logo no primeiro minuto de jogo. Em ataque rápido, Nikão avançou pela esquerda e bateu, mas Vanderlei estava no lance e espalmou para escanteio. Depois disso, o Santos buscou a pressão em inúmeras tentativas, mas os jogadores tinham dificuldades em trocar passes por conta do campo molhado.

O primeiro bom ataque do Peixe aconteceu aos 15 minutos. Victor Ferraz dominou na linha de fundo e tocou para Carlos Sanchéz, que finalizou de primeira. A bola se encaminhava para a lateral da rede, mas o goleiro Santos efetuou a defesa e evitou o gol.

A metade da primeira etapa marcou um período de pouca movimentação. O principal destaque dos 20 minutos foi a lesão de Robson Bambu, que sentiu a coxa e precisou ser substituído. O futebol ofensivo voltou somente aos 36 minutos, quando Rodrygo cortou a marcação pela direita, bateu cruzado mas parou na intervenção de Santos.

O Furacão quase encontrou o caminho do gol nos minutos finais da primeira etapa. Aos 43, Nikão bateu de fora e Vanderlei fez milagre para salvar o Santos. Três minutos depois, Marcinho direcionou cruzamento para a pequena área, mas Marcelo Cirino não alcançou e perdeu a última boa chance dos 45 minutos iniciais.

Santos consegue vitória polêmica no último lance

A emoção da primeira etapa ficou no vestiário. A estratégia dos dois times mudou na volta do intervalo, e isso prejudicou parte das ações ofensivas. Enquanto o Santos queria dominar a posse de bola e encontrar espaços no campo do Atlético, o Rubro-Negro se fechou na defesa e lutou por uma bola para tentar sair vitorioso.

A primeira boa chance da segunda etapa foi do Furacão. Aos 17 minutos, Nikão construiu jogada individual e arriscou de longe, mas não acertou o alvo. Mesmo com mais posse de bola, o Peixe errava na frente e abusava dos cruzamentos – que sempre eram interceptados pelo goleiro Santos.

O Atlético levava mais perigo, e quase chegou ao gol em duas oportunidades na reta final da segunda etapa. Aos 36, Diego Ferreira cruzou, Marcelo Cirino mirou a cabeçada no canto mas mandou para fora. Aos 40 minutos, Rony puxou conta-ataque com velocidade e buscou a troca de passes com Nikão e Marcelo Cirino. Sem o entrosamento ideal, o trio ofensivo do Furacão permitiu a recomposição da defesa do Santos e perdeu a oportunidade.

O lance capital da partida aconteceu aos 49 minutos da segunda etapa. Dodô e Rony trombaram na área, e o juiz, em decisão polêmica, marcou pênalti para o Santos. Depois de muita reclamação por parte do Atlético, Carlos Sánchez deslocou o goleiro Santos e deu a vitória ao time da casa.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 ATLÉTICO-PR

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Bambu (Luiz Felipe), Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Bruno Henrique (Kaio Jorge); Rodrygo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Cuca.

Atlético-PR: Santos; Diego, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington, Lucho (Bruno Guimarães), Nikão (Márcio Azevedo) e Raphael Veiga; Marcinho (Rony) e Marcelo Cirino.
Técnico: Tiago Nunes.

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP).
Data/Horário: 30/09/2018, às 16h.
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN).
Assistentes: Jean Marcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN).

Público/Renda: 7802 total | R$ 141.227,00.
Cartões Amarelos:
Gustavo Henrique e Carlos Sánchez (Santos). Paulo André, Lucho, Nikão, Léo Pereira e Márcio Azevedo (Atlético-PR).
Gol:
Carlos Sánchez, aos 51′ do 2º tempo para o Santos.

Foto: Miguel Locatelli/Atlético-PR Oficial

Siga em:
Com desfalques, Para

Estudante de Engenharia, fanático por futebol. Encontro nos textos uma forma de desenvolver novas aptidões e acompanhar de perto os bastidores do futebol.

Classifique este artigo