Após dois anos afastado, Nacional Atlético Clube prepara sua volta ao futebol

Um dos clubes mais tradicionais da região norte do Estado está preparando sua volta ao futebol após ficar dois anos licenciados por problemas com a Federação Paranaense de Futebol (FPF). O Nacional Atlético Clube, de Rolândia disputou sua última competição em 2016, quando acabou rebaixado no Campeonato Paranaense. Já com técnico contratado e buscando fechar o grupo de atletas, o NAC irá disputar a Terceira Divisão Paranaense em 2018.

Para poder disputar uma competição profissional, o clube deve participar ao menos de uma das competições estaduais de base, no caso o clube rolandense está disputando o Campeonato Paranaense sub-17. O presidente do Nacional, José Danilson Oliveira comentou que não foi fácil o tempo que o clube ficou afastado, mas que o clube se reestruturou para voltar a disputar as competições. “Não foi um processo fácil [retorno as competições], porque a Federação alegava que o clube tinha desrespeitado as normas do estatuto, o que era verdade e infelizmente tivemos que acionar a Justiça Desportiva, na qual resultou numa demanda, onde o STJD deu todas as garantias ao clube que estava em dia com a FPF, com alvarás pagos, mesmo quando ficou licenciado os alvarás foram pagos, então não foi fácil, mas retornou pela ação na Justiça Desportiva. Hoje o NAC está tudo certo, a gente esqueceu o que aconteceu e bola para frente”, afirmou o presidente do clube sobre todos os problemas enfrentados pelo Nacional.

O prazo de inscrição para a Terceirona será até dia 8 de junho e o arbitral foi marcado para o dia 15 do mesmo mês. O presidente do NAC falou da expectativa do clube para esse disputa e sobre o formato da competição. “Acompanhamos a Terceira Divisão do ano passado, teve quatro equipes bem planejadas e as outras equipes bem amadoras, esse ano o que estamos ouvindo falar é que vai vir equipes fortes para a competição, ouvimos falar entre sete e oito equipes fortes se planejando para subir a Segunda Divisão e acredito que será bem competitiva. Acho que o formato [de competição] do ano passado foi um bom formato”, enfatizou José Danilson.

Com a volta do clube, o presidente do NAC acredita que isso trará os torcedores de volta ao estádio, pois um clube de 71 anos tem um tradição na região e a cidade sempre abraçou o time. Com o afastamento e agora a volta, o Nacional tem uma nova realidade em Rolândia, um outro clube na cidade, para José Danilson é positiva essa rivalidade dentro da cidade. “Acho positivo, claro que vamos dividir espaços aqui dentro da cidade, não tem como fugir disso, mas acho que para a cidade é positivo, uma concorrência leal, acho que Rolândia pode ganhar com o retorno do Nacional e agora com o REC”, comentou o presidente do NAC.

O Nacional já tem um comandante para a disputa da Terceirona, trata-se do ex-jogador Índio Ferreira, que foi atleta com passagens por Flamengo, Palmeiras, Juventude, Goiás e Coritiba. O presidente disse que está montando o elenco para a Terceirona e prometeu um time forte para buscar o acesso. “Estamos em contato com atletas que já conhecemos, alguns que já jogaram com a gente, outros que a gente viu jogando e estamos planejando montar um bom elenco para a Terceira Divisão”, disse José Danilson Oliveira.

Com a volta, a expectativa da diretoria é voltar degrau por degrau a primeira divisão estadual, competição que o clube não disputa desde 2016. O presidente irá representar o clube no arbitral do dia 15 de junho e a competição deverá ter início no mês de agosto.

Foto: Nacional AC Oficial.

Siga em:
Em partida movimenta
“Tínhamos o objet

Jornalista, formado na Unopar em 2015. Nasci e moro em Londrina. Apaixonado por esportes. Gosto de praticar aquele futebolzinho de final de semana. Futebol não é apenas um esporte, mas sim uma forma de viver.

Classifique este artigo